4 de junho de 2020
Início / Notícias / Família de Caaporã ouve choro em cemitério e procura polícia para desenterrar corpo de mulher que morreu com suspeita de Covid-19 em maternidade de João Pessoa
Arte em Festa Recepções

Família de Caaporã ouve choro em cemitério e procura polícia para desenterrar corpo de mulher que morreu com suspeita de Covid-19 em maternidade de João Pessoa

Uma mulher que deu a luz a gêmeos morreu na terça-feira (12) na maternidade Frei Damião, em João Pessoa, com suspeita de coronavírus, após realizar o parto na Maternidade Cândida Vargas e ser transferida. No mesmo dia ela foi sepultada na cidade de Caaporã onde morava, com determinações expressas da Secretaria de Saúde do Estado e municípios, tendo em vista o perigo de contágio.

Relatos nas redes sociais apontam que parentes acreditam que ela foi enterrada viva, pois ouviram o choro da mulher ao visitar o cemitério na manhã de quarta-feira (13) e acionaram a polícia para desenterrar o corpo.

O delegado Francisco Basílio que atende as ocorrências no Litoral Sul, confirmou que foi procurado por um familiar que relatou o fato, informando que a família acredita que a jovem mãe teria sido enterrada com vida, apontando que a mãe dela ouviu o choro quando foi ao cemitério na manhã seguinte ao sepultamento. Foi solicitada a certidão de óbito ao parente, mas ele não estava com o documento no momento e disse que iria buscar e voltaria para registrar a ocorrência, fato que não aconteceu até o momento.

Há informações que a família teria desenterrado o corpo com apoio da Polícia Militar em cumprimento a uma ordem judicial, mas, o delegado afirmou que não existiu essa ação de forma oficial.

“Não teve ordem judicial, não teve presença de efetivo policial e muito menos o Instituto de Polícia Cientifica foi acionado, pois é o órgão oficial para realizar esse procedimento, caso a justiça autorizasse. Se houvesse tal ordem, o delegado e sua equipe ou a polícia militar iriam cumprir, porém, não houve nada disso. Se alguém desenterrou o corpo sem essa autorização, cometeu um crime que será investigado”, disse Francisco Basílio.

Relatos de um parente também aponta erro médico e diz o seguinte:

“A moça que morreu ontem é da minha família, vou tentar resumir o máximo porque não devemos satisfações a cobras. Ela tinha doença no coração desde nascença, semana passada deu a luz a gêmeos no hospital Cândida Vargas, segunda-feira ela passou mal e a médica deu a medicação Berotec, medicamento que não pode ser dado a cardíaco. Daí foi o fim de uma vida, a medica transferiu ela para a Frei Damião aonde ela já chegou e foi entubada com urgência e faleceu. A mãe não se conforma de não ter visto e velado o corpo da filha, hoje conseguiu ordem judicial para isso, e foi lá para abrir o caixão e vê a filha que foi enterrada”.

Portal do Litoral

Inscreva-se em nosso canal!

Sobre pbpeisf

PBPE - Informação Sem Fronteira. As principais notícias do Estado da Paraíba e de Pernambuco você encontra aqui. Confira também os destaques locais das duas cidades irmãs, Itambé-PE e Pedras de Fogo-PB. Notícias, política, entretenimento, cultura, eventos, tecnologia, saúde, educação, esportes, oportunidades e muito mais! Serviços, produtos, downloads, humor, links úteis e notícias do Brasil e do Mundo.

Confira Também

MP investiga suposto aumento de casos de câncer causados por antenas em prédio de João Pessoa

Denúncia anônima feita ao MP diz que 20 moradores do edifício tiveram casos de câncer …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.