7 de maio de 2021
Início / Política / Marina vetaria descriminalização do aborto, se aprovada pelo Congresso
Arte em Festa

Marina vetaria descriminalização do aborto, se aprovada pelo Congresso

No fórum Amarelas ao Vivo, candidata diz que votação seria ‘decisão soberana’ e que parlamentares não podem ‘substituir’ a população

A candidata da Rede Sustentabilidade à Presidência da República, Marina Silva, afirmou nesta quarta-feira 19, em entrevista ao fórum Amarelas ao Vivo, organizado por VEJA, que, se eleita, defenderia um plebiscito sobre a descriminalização do aborto e vetaria a medida caso ela fosse aprovada pelo Congresso.

“Se o Congresso decidir, eu vetaria. Se for um plebiscito, acho que é uma decisão soberana da sociedade”, afirmou a ex-ministra. “Se for para ampliar [a previsão do aborto em lei], que 513 deputados não substituam 200 milhões de brasileiros, nem 81 senadores, o presidente não convoca plebiscito nem muda leis do Congresso, agora, se por decisão soberana no plebiscito a sociedade decidir que é isso, estamos em uma democracia e um Estado laico…”, ponderou.

Evangélica da Assembleia de Deus, Marina voltou a se posicionar contra o aborto na entrevista. “Eu sou contra o aborto, não acho que é a melhor forma de você encarar o problema de não querer uma gravidez indesejada. Defendo planejamento familiar, que se orientem as pessoas para que elas não tenham uma gravidez indesejada”, disse a ex-senadora.

‘Eleição plebiscitária’

Com a provável polarização entre esquerda e direita no segundo turno da eleição presidencial, entre Fernando Haddad e Jair Bolsonaro, Marina Silva declarou que a disputa pelo Palácio do Planalto não pode ser convertida em um plebiscito, em que o eleitor escolheria não o político de sua preferência no primeiro turno, mas aquele que tem mais condições de chegar à parte decisiva da eleição e vencer o candidato indesejado.

“Uma eleição em dois turnos é para que a gente não se curve ao pensamento autoritário de querer decidir no primeiro turno. Uma eleição de dois turnos é para que cada pessoa vote no candidato da sua convicção. No Brasil querem fazer da eleição uma eleição plebiscitária”, disse ex-ministra aos jornalistas Thaís Oyama, redatora-chefe de VEJA, e Augusto Nunes, colunista.

A declaração de Marina se dá no dia seguinte ao Ibope mostrar que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) se isolaram na liderança da corrida ao Palácio do Planalto. O capitão do Exército tem 28% das intenções de voto e o petista, 19% – este cresceu 11 pontos porcentuais em uma semana. Marina Silva (Rede), que liderava as pesquisas no início da campanha eleitoral, tem 6%. Ela descarta, contudo, abrir mão de sua candidatura por uma coalizão de centro que evite a polarização.

Sobre a queda nos levantamentos de intenção de voto, Marina disse que os números só devem ser interpretados a partir do anúncio da candidatura de Haddad, em substituição à do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Agora a disputa é pra valer, agora todos os candidatos estão postos. Agora as coisas estão em base real, começamos a campanha em cima do voto líquido”, afirmou.

A candidata da Rede declarou ainda, em referência ao candidato do PSL e ao petista, que a escolha não pode ficar entre “a violência e o saudosismo autoritário e a ideia com a conivência com a corrupção”.

Questionada a respeito de qual candidato, entre Bolsonaro e Haddad, seria mais “nocivo” ao país, Marina não citou o deputado nem o ex-prefeito, mas criticou a proposta do presidenciável do PSL de facilitar o porte de armas à população e citou o que entende por “autoritarismo de esquerda e direita”.

“Essa proposta [sobre o armamento] foi desmoralizada em um ato: uma pessoa com uma arma branca e ele [Bolsonaro], rodeado por policiais federais armados, policiais militares armados, não foi protegido. Não vai ser assim que vamos resolver o problema do Brasil, fazer um governo para os fortes”, disse a presidenciável.

Veja

Inscreva-se em nosso canal!

Sobre pbpeisf

PBPE - Informação Sem Fronteira. As principais notícias do Estado da Paraíba e de Pernambuco você encontra aqui. Confira também os destaques locais das duas cidades irmãs, Itambé-PE e Pedras de Fogo-PB. Notícias, política, entretenimento, cultura, eventos, tecnologia, saúde, educação, esportes, oportunidades e muito mais! Serviços, produtos, downloads, humor, links úteis e notícias do Brasil e do Mundo.

Confira Também

Em três meses, Alyne Povão, prefeita de Cruz do Espírito Santo, teria gasto quase R$ 2 milhões com combustível

Denúncia é do vereador Leonardo Nascimento que promete acionar o Ministério Público Seiscentos mil reais …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *