20 de abril de 2021
Início / Mais Notícias / Material reciclado é transformado em objetos de decoração e esculturas, na Fenearte
Arte em Festa

Material reciclado é transformado em objetos de decoração e esculturas, na Fenearte

Uma das propostas da Fenearte, que realiza sua 19ª edição neste ano, é mostrar as diversas faces da produção artesanal do Brasil. Uma delas é a sustentabilidade – princípio que guia vários dos expositores da feira. Entre as obras, há utilitários, esculturas e artigos decorativos, todos feitos com material reciclado, como lacres de lata de alumínio e até ferro velho.

O recifense Paulo Duran é um dos artesãos que usa material reciclado como matéria prima: filho do dono de uma oficina de serralharia, notou o ferro velho que era acumulado e, há 18 anos, passou a criar esculturas a partir dele. “Olhei para o ferro e pensei que ele poderia se transformar em outra coisa ao invés de ir para o lixo. Peguei o maçarico, esquentei e comecei a moldar, criando a forma que eu queria”, explica.

O artesão recifense Paulo Duran cria esculturas com materiais de ferro velho (Foto: Penélope Araújo/G1)

O artesão recifense Paulo Duran cria esculturas com materiais de ferro velho (Foto: Penélope Araújo/G1)

Nas obras, são utilizados materiais encontrados em ferros velhos, que são moldados para representar imagens como passistas, bailarinas e sambistas. “Minha inspiração é o próprio trabalho, uma coisa acaba levando a outra e vou criando as imagens a partir daí”, revela também o artesão.

Na Fenearte, Paulo vendeu quase todas as suas obras, inclusive as maiores. “As peças custam de R$ 50 a R$ 6 mil, e vendi até algumas maiores, para marchands e colecionadores de arte”, comemorou ainda.

Artesã usa técnica de prensar lacres de latas para criar peças decorativas (Foto: Penélope Araújo/G1)

Artesã usa técnica de prensar lacres de latas para criar peças decorativas (Foto: Penélope Araújo/G1)

Quem também utiliza material reciclado para confeccionar suas peças é a artesã Maria do Carmo da Silva, também do Recife. Usando apenas lacres de latinhas de alumínio, ela cria objetos decorativos, como mandalas, quadros e vasos. “É tudo feito com lacres prensados e colados. Meu maior orgulho é dizer que fui eu mesma quem criou essa técnica”, detalha, explicando ainda que é a responsável por todas as etapas de produção das obras, desde limpar os lacres até criar os modelos e alinhar, colar e prensar os itens.

Para ela, os produtos, que custam entre R$ 30 e R$ 250, fazem sucesso pelo design diferente. “Tem gente que nem acredita que é reciclado, porque o resultado é bem diferente de outras obras feitas com o mesmo material. Para os vasos, uso cinco mil lacres, e o resultado é bem diferente de outras técnicas que também usam lacres”, aponta ainda Maria do Carmo.

G1
Inscreva-se em nosso canal!

Sobre pbpeisf

PBPE - Informação Sem Fronteira. As principais notícias do Estado da Paraíba e de Pernambuco você encontra aqui. Confira também os destaques locais das duas cidades irmãs, Itambé-PE e Pedras de Fogo-PB. Notícias, política, entretenimento, cultura, eventos, tecnologia, saúde, educação, esportes, oportunidades e muito mais! Serviços, produtos, downloads, humor, links úteis e notícias do Brasil e do Mundo.

Confira Também

Fux marca para terça-feira julgamento sobre CPI da Covid-19

O relator da ação no Supremo é o ministro Luís Roberto Barroso. A sessão de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *